quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Os intocáveis do STF aprontam mais uma

STF   Garante  império  num  regime democrático 
Hoje, com repúdio e arrogância, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Cezar Peluso, fez pronunciamento a respeito da liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski. A nota tem como objetivo inverter o óbvio e tentar explicar o que já foi explicado. A referência é sobre a meteórica canetada do ministro Ricardo Lewandowsk. Ele teria se beneficiado ao conceder liminar que sustou a investigação realizada pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Além disso, o apontamento tenta remontar os detalhes do fato, com argumentos já fragilizados e recheados de frases prontas. E, nesta edição, o ministro-mor fez a inclusão de uma versão de tom ameaçador. A notificação presidencial faz recordar as intimidações relutadas de um passado recente. Momentos de punhos de ferro que envergonham a história desta nação.


De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), vinte e dois (22) magistrados de tribunais do país estão sendo investigados por alteração na folha de pagamento entre outros desvios de conduta. Entre eles, o ministro Lewandowski. Em esclarecimento, disse que só atuou no caso porque o relator do processo e os demais ministros do Supremo não estavam no tribunal. Embora, o STF está em férias até fevereiro, será que havia urgência para tal despachar o caso? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário